sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Passarinhando

Passarinhei o dia todo em busca do vazio
E quando o encontrei ele estava cheio de mim
Ainda bem que ele me olhou
Pois quando não me olha, não consigo me ver
Espelho cego, do tipo que tenho em casa
Pendurado em suspiro
De vidro mole como água
Não dá para quebrar
Só passarinhando por aí mesmo
Pra me trair e me dobrar
Pra me colorir

domingo, 18 de outubro de 2015

Inviagem

Deprimir é como viajar,
Viajar para um não-lugar
Onde o silêncio é tão alto
Que se escuta de longe
Não se sabe quando se irá voltar
Nem quando se vai
Vai e se desvai sem sair do lugar


Nada nunca foi tanto
Nem o vazio tão pequeno
Uma inviagem só.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

É justamente por estar apaixonado que eu não sei muito bem lidar com o tempo.
Quando souber, serei passado.

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Papelavras

Eu sou um origamista
Dois dedos e eu dobro uma palavra
Por exemplo: “amortecedor”
Amor/tece/dor
ou
Amortece/dor
ou
A/morte/tece/dor
Faço um médico ser o mesmo que um pesca/dor
Um psicanalista se transformar num ouvi/dor
Alguns vincos e o “sou” vira “nós”
O não vira não?
Vira tudo papelavra.