quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Como ler um livro

O psicanalista e poeta Rubem Alves (1933 – 2014) dizia que pessoas sábias eram aquelas que, entre outras qualidades, sabiam caminhar sem rumo definido. Para elas, o importante era caminhar por caminhar, e não caminhar para chegar a um determinado lugar. Em outras palavras, a caminhada, seja qual ela fosse e para onde quer que ela se dirigia, era importante em si, não condicionada ao seu objetivo.

Experimente você mesmo(a) caminhar sem rumo. Eu já tentei algumas vezes, e posso dizer que se trata de uma experiência curiosa e singular. Quem caminha sem rumo não se perde, se encontra! Seria algo mais ou menos parecido com o comportamento de comprar um livro em uma livraria. Se você for o tipo de pessoa que não gosta de perder tempo e planeja seus passos deliberadamente, aposto que você iria à uma livraria sabendo a priori qual livro irá comprar. Deve ser assim que a maioria das pessoas fazem.

Mas convido você a fazer diferente: dentre centenas e mais centenas de diferentes capas, cores, texturas, tamanhos e assuntos, caminhe pela livraria e deixe que um livro lhe chame a atenção, ou seja, vá a uma livraria e permita-se ser escolhido por um livro. A experiência é igualmente singular. 

Eu levei anos para perceber que os livros são como pessoas: eles são carregados de palavras e sentimentos. São amáveis, odiáveis, surpreendentes e carregam em si a diversidade presente em cada ser humano, representado por meio de suas infinitas características. Os livros estão vivos!

Quem se obriga a ler livros até o final ainda não aprendeu a ler um livro. Quem se obriga a entender tudo o que um livro diz também não. Aliás, quem se obriga a ler um livro ainda não aprendeu a ler. Como o amor, o ato de ler é uma virtude e não um dever. Por isso livros são como pessoas, porque além de toda a diversidade que carregam, sua totalidade nunca poderá ser compreendida. Como pequenas notas de rodapé, ou frases incompreensíveis, existe sempre algo que nos escapa.

E se você caminhar sem rumo definido, ou caminhar por uma livraria e deixar um livro lhe escolher, e ainda ler um livro e deixar-se compreender aquilo que puder compreender, você descobrirá que, possivelmente, você ainda não caminhou e ainda não leu, verdadeiramente.

É o que eu desejo para você em 2015, caminhadas e leituras, para onde quer que seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário